segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Com esses pés lambedores de pés




A inocência e a beleza da inocência
de mãos dadas,
(unhas brilhantes, dedos serenos, delicadeza...)
debruçadas sobre as encaracoladas águas
da baía de meu coração sempre caribenho,
romano, portenho, português,
anglo-xação, carioca...
coração cavado no caule da árvore tua

Geme, onça carnuda
tocada pela coifa da real palmeira
de todas as minhas infâncias,
Brame, ovelha peluda
bolinada pela coifa da juventude
que bebo sob as pétalas tuas

Ultrapassarei a idade Ezra Poud
com esse corpo bonito, com esses teus seios,
com essa boca devoradora de boca,
com esses pés lambedores de pés

(edu planchêz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário