quinta-feira, 17 de novembro de 2011

meu filho é um ser que toca guitarra















Sob a luz do agora distante bairro
São Francisco Xavier...

pauto esse nascer de dia e essa noite
que deixei num balaio feito de tiras de taquara verde...

Com festanças da nova primavera,
com as faces notórias do dado que ainda gira


Eu sou pai...meu filho é um ser que toca guitarra...

sou realizado por tê-lo, por ele assim o ser


A vida transporta meus aparelhos canções,

meus lares polígonos repletos de notas musicais


Hoje o bem-te-ví conversa comigo

e com a manhã cheio de estrelas de barro


(edu planchêz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário